Notícias

Skip Navigation LinksHome > Notícias > SINTERP/BA PARTICIPA DE PROTESTOS DURANTE GREVE GERAL EM FRENTE À REDE BAHIA
segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

SINTERP/BA PARTICIPA DE PROTESTOS DURANTE GREVE GERAL EM FRENTE À REDE BAHIA


O SINTERP/BA participou da Greve Geral desta segunda-feira (19/02) protestando em frente à TV Bahia com faixas e bandeiras, que diziam “A Comunicação não pode ser a Justiça do país”; “A imprensa se tornou o maior partido político do país” e “Um tal de Tuca, um tal de Botafogo e um tal de Moura, que respondem a processos, têm capacidade de criar reformas?”. As faixas, com objetivo de questionar o que as TVs vêm fazendo no Brasil, com uma propaganda política velada contra o pensamento de esquerda e provavelmente financiadas pelos grandes conglomerados nacionais e internacionais, tiveram grande repercussão. Também questionavam os políticos, através de seus codinomes nas operações ligadas à corrupção e a imoral participação deles no destino do país através da criação de reformas e a do apoio na Câmara. Os diretores do sindicato chegaram à emissora às 6h da manhã e ficaram até às 10h. Durante esse período surpreenderam vários trabalhadores da equipe de externa saindo para as atividades sem equipamentos de proteção (EPIs).

O coordenador da entidade de classe, Dimas Araújo, afirmou que os trabalhadores brasileiros já não têm emprego, estabilidade, segurança e não terão mais aposentadoria se essa reforma passar. “Não podemos deixar isso acontecer. Precisamos nos manifestar sem descanso, hoje e sempre. O governo sabe que não existe necessidade de fazer essa reforma. Se fosse necessário para ajudar o povo, eles não iam querer fazer”, lembrou.

Everaldo Monteiro, secretário de Finanças do SINTERP/BA disse que não precisa ser sindicalista, cutista, petista ou lulista  para defender os direitos da população. “ Cada cidadão tem o dever de proteger seus direitos para poder se aposentar dignamente. Esses amadores que estão no governo, além de deixar milhares de pais de família desempregados, conseguiram esquartejar centenas de direitos trabalhistas assassinando nossa constituição. O que nos resta além de lutar? Já perdemos quase tudo! Milhares de postos de trabalho, o direito a um contrato de trabalho com carteira assinada, consequentemente a estabilidade no emprego. Qual seria a fórmula mágica para a aposentadoria, estando todos de bengala nas mãos ou dentro de um caixão? Na encruzilhada de prejuízo dos direitos, o Brasil tornou-se o país dos empresários da miséria e administrador dos bolsos vazios com mais de 30 milhões de trabalhadores desempregados, disputando o mercado informal. Mesmo assim, são intitulados de pequenos empreendedores. Um vendedor de balas no semáforo ou dentro de um ônibus passou a ser considerado micro-empresário? Vamos admitir que um trabalhador recebesse auxílio moradia de quase cinco mil reais, auxílio paletó, auxílio alimentação... Seria um milionário?". 

Os trabalhadores grevistas pararam desde 3h da manhã nas garagens de ônibus, como a Camurujipe, RCR, Novo Horizonte e Vix. Os rodoviários mostraram grande disposição para o movimento. O Polo Petroquímico foi bloqueado pela manhã, bem como as bases da Petrobras. As ruas do Iguatemi também ficaram paradas. As cidades de Juazeiro, Teixeira de Freitas, Camaçari, Feira de Santana, Itabuna, Itapetinga, Serrinha, Senhor do Bonfim e da Região Sisaleira aderiram fortemente à Greve.

Para Cedro Silva, presidente da CUT/BA, o saldo da Greve foi positivo. “A classe trabalhadora mostrou para o governo que não vai acreditar que a reforma da previdência vai acabar com privilégios. A reforma vai manter privilégios do governo. É um enorme engodo. Tivemos uma grande Greve na Bahia e no Brasil”, declarou.

Enquanto isso a reforma da previdência segue parada na Câmara. Os apoiadores do movimento vão encontrar-se às 15h na Praça do Campo da Pólvora para um grande ato.  


Seminário Reforma Trabalhista e Negociação Coletiva

assista o vídeo
.
.